Os desafios e as oportunidades da culinária no mundo digital

outubro 20, 2020

O “novo normal” trouxe mudanças em todos os aspectos que nos envolvem, seja de cunho pessoal, profissional, social ou sentimental. As ciências foram afetadas. Todas as áreas do conhecimento, transformadas. As artes inovaram-se, inclusive a culinária que migrou do analógico para o digital. E será que isso é normal? A digital influencer, com foco em Gastronomia, Sadhia Hage responde!

Do lado doce da vida - Primeiramente, gostaríamos de conhecer um pouco sua trajetória profissional como Influenciadora Digital. Quando começou esse trabalho e por quê?
Sadhia Hage - A minha trajetória começou há 14 anos, então, posso dizer que sou uma influenciadora digital raiz.
Inicialmente, eu fazia parte de um grupo de amigos no MSN Grupos, com mais de 2 mil pessoas, no qual ensinava vários tipos de artesanato, do ponto cruz à decoupage.
A repercussão no grupo era grande e começou a aumentar quando passei a publicar as artes que eu fazia na minha cozinha. Havia muito interesse pelas receitas e elas se perdiam no grupo, pela grande quantidade de pessoas. Foi aí que eu tive a ideia de criar o blog Artes da Sadhia na Cozinha para publicar conteúdo próprio.
A cada publicação, em resposta aos seguidores, eu informava os produtos utilizados no preparo, as marcas começaram a me enxergar através do Google e comecei a receber convites oficiais para fazer campanhas de divulgação.
Com a chegada das Redes Sociais passei a divulgar conteúdos próprios nelas também. Twitter, Tumblr, Pinterest, We Heart It, Facebook, Instagram e Youtube são as redes que uso atualmente.
Hoje, digo que não sou a maior influenciadora, sou apenas a influenciadora digital das antigas, que gosta de testar receitas e divulgar produtos de qualidade.

Do lado doce da vida - A Influenciadora Digital tem engajamento com produtos dos mais variados segmentos: cosméticos, eletrodomésticos, produtos de limpeza e você levantou a bandeira da Culinária. Alguma razão especial para essa escolha?
Sadhia Hage - Esse meio digital que entrei é surpreendente, porque muitas vezes você começa fazendo uma coisa e as pessoas pedem, muito mais, outra. Eu comecei com artesanato e ficavam me pedindo receitas, tanto que prevaleceu a Gastronomia que é o assunto de maior interesse do meu público.
Essa preferência provavelmente ocorreu, porque tudo que me perguntavam sobre receitas eu sabia responder e fazer, isso pelo fato que cozinho afetivamente desde quando tinha uns 10 anos de idade. Minha mãe é minha fonte de inspiração na cozinha, foi ela quem me ensinou quase tudo que eu sei. A minha postura gerou credibilidade diante dos meus seguidores que confiam em mim, nas minhas dicas, nas minhas receitas.

Do lado doce da vida - Desde que iniciou suas atividades, focadas na Culinária, suas atividades são todas digitais?
Sadhia Hage - Quando comecei, parte dos processos eram analógicos, a começar pela Câmera fotográfica. Na época, não existia câmera digital, então a foto era feita com câmera analógica, revelada, escaneada e publicada no grupo e posteriormente, no blog, procedimento que levava o dia todo. Às vezes, tirava 200 fotos, revelava e nenhuma ficava boa e tinha que refazer tudo.
Hoje, as fotos são feitas na câmera digital, mas existem os bastidores que ninguém vê, que é toda a produção, a iluminação, o cenário, os talheres e louça usados para a foto. O preparo da receita também é manual, e às vezes acordo de madrugada pensando no que fazer e anoto tudo no papel.
Nos tempos do MSN Grupos, as influenciadoras realizavam as chamadas “Troquinhas” e trocávamos cartas e artesanatos, tudo no meio analógico pelos Correios e em pequenos encontros.
Com a repercussão do meu trabalho, no Blog, as empresas me convidavam para visitar as fábricas. Então apesar de estar no meio digital também estava presente pessoalmente com as marcas, e em campanhas em revistas e televisão.
E existetambém o Encontro de Blogueiros que criei há vários anos para promover o encontro entre os influenciadores digitais e as empresas. Nele, as marcas são divulgadas, cursos promovidos e inúmeros influenciadores que têm potencial incrível são motivados.

Do lado doce da vida - Diante da preferência do seu público, qual a tendência da Gastronomia que você percebe?
Sadhia Hage - A cozinha afetiva é algo que tem ser tornado cada vez mais frequente na minha vida e percebo que na vida das pessoas também, então eu tenho feito muitas receitas que as pessoas me pedem que são afetivas. Inclusive tem uma coluna no blog, que eu faço uma vez por semana, falando sobre receitas com história, afinal, cada receita preparada na casa da gente tem uma história diferente. Eu digo, que a minha vida sempre foi em volta de mesa e do fogão. Na minha família tudo sempre se resolveu na cozinha e daí surgem tantas histórias para contar através da comida.
Sobre tecnologia, eu gostaria de oferecer para as pessoas o cheiro da comida feita na hora, mesmo que elas não estejam ali presentes. Quando estou fazendo uma receita, eu falo para as pessoas: vocês não imaginam o cheiro que está aqui, eu gostaria que vocês sentissem o cheiro do prato que estou fazendo. E tenho certeza que daqui há alguns anos ainda teremos essa tecnologia.

Do lado doce da vida - E diante desse novo normal, o que ele trouxe de diferente para a Culinária?
Sadhia Hage - O novo normal trouxe uma introdução diferente para a nossa vida. Antes eu saía muito para comer fora, mostrava muito mais restaurantes do que mostro atualmente. Hoje eu cozinho muito mais e produzo muito mais conteúdo.
A minha cozinha tem um novo normal, porque antes eu chegava do mercado, pegava as compras e já ia guardando. Agora, nós lavamos tudo, limpamos com álcool para guardar. Algumas coisas que iam para o armário eu já limpava, mas hoje é tudo e com muito mais precaução.
Faço receitas que antes eu não fazia, e tenho que adaptar várias delas por conta do acesso limitado ao mercado e por não ter todos os ingredientes necessários nas minhas mãos. Por isso, se tiver produtos mais funcionais como os produtos da Pastoriza eu vou comprar, porque nesse novo normal os produtos práticos são essenciais.

Do lado doce da vida - Como você superou ou está superando essa impossibilidade de fazer os eventos presenciais que envolvem degustação, aplicação dos produtos e outros fatores sensoriais que são tão importantes especialmente para a Culinária?
Sadhia Hage - O encontro de blogueiros sempre foi um encontro revolucionário, porque sempre olhou adiante e como criadora deste encontro, eu posso afirmar que também sempre olhei à frente, sempre ando com a tecnologia. Não adianta a pessoa ficar parada no tempo.
É claro, que é muito diferente quando você faz um evento para mais de cem pessoas como eu faço, e existe um espaço, um local, o relacionamento presencial entre as pessoas, o que chamamos de tête-à-tête que é tão importante. Mas como não se sabe quando isso será possível novamente, resolvi fortalecer o relacionamento digital.
Para divulgar as empresas que entram em contato comigo, já habituadas com os eventos de blogueiros anuais, direciono o kits diretamente para as influenciadoras e ofereço mentoria. Primeiramente, oriento as empresas na escolha dos influenciadores para entrar na ação. Os kits são enviados, e quando recebidos, concedo instruções para as publicações. E isso deu muito certo, tanto que comecei fazendo tudo digital e tem outros influenciadores no mesmo caminho.

Do lado doce da vida - Quais são as ameaças para a Culinária nesta era digital?
Sadhia Hage - As ameaças são as receitas erradas e sem fundamento e as fake news que também existem na Gastronomia.
Uma das coisas que as pessoas têm que aprender é que ao ver uma receita, é importante saber se ela vem de uma fonte segura, porque existem sites com milhões de seguidores e as receitas estão incorretas. Existem receitas lindas e maravilhosas e quando você começa a pegar os ingredientes, percebe que tem alguma coisa errada.
Existem sites que só copiam e colam, não fazem realmente a receita para comprovar se está correta. Por isso, procurar fontes seguras é indispensável para ter sucesso no preparo.

Do lado doce da vida - E quais as oportunidades para a Culinária no Mundo Digital?
Sadhia Hage - Quando você está no mundo digital, faz um trabalho com profissionalismo, produz conteúdos próprios e relevantes, e tem propriedade no que divulga: ganha notoriedade, torna-se influente, cria tendências e fortalece a liderança no segmento de atuação.

Do lado doce da vida - Na introdução desta entrevista, afirmamos que a culinária migrou do analógico para o digital. E será que isso é normal?
Sadhia Hage - Sim, é tão normal que estou mostrando tudo o que conheço de culinária no mundo digital, há 14 anos. E a tendência é que isso ganhe cada vez mais repercussão conforme mencionei anteriormente. A maior prova que tenho disso é o Encontro de Blogueiros que tinha um objetivo presencial de grande proporção e agora, é virtual.

Do lado doce da vida - Gostaria que deixasse uma mensagem para as empresas e profissionais que atuam no ramo de panificação e confeitaria, e que muitas vezes são reticentes em aceitar o mundo digital.
Sadhia Hage - Não podemos desistir! Nessa vida nem tudo é likes e seguidores. Mas existe sempre alguém que se inspira em você. Então, quando pensar em desistir, vale pensar, “se eu desistir vai ter alguém do outro lado que sentirá a minha falta?”.
O profissional não deve se sentir acuado quando vê qualquer tipo de dificuldade. Tem que continuar a “nadar”, sempre olhando para frente, mesmo que só veja dificuldades. Tem que ser criativo todos os dias, e eu sei o quanto é difícil ter boas ideias para empreender e continuar o trabalho. Porém, repito, não desista porque existealguém se inspirando em você.
Vale frisar também que existem muitas pessoas fazendo o que você faz, e o mundo digital propaga isso ainda mais, mas a diferença está na sua autoridade de profissional, e na sua propriedade em tudo que faz e fala.